Anti-Mineração

O Processo Antinuclear surge como fruto da disciplina Tópicos Avançados em Saúde do Trabalhador e Saúde Ambiental, coordenado pela Prof.ª Raquel Rigotto e pelo Prof.º Jeovah Meireles, realizada no segundo semestre de 2010, que abordou o tema Mineração de Urânio no Ceará e enfocou os eixos: Licenciamento Ambiental e Saúde – avaliação de equidade ambiental; papel e desafios à política pública de saúde – preparação dos serviços de saúde para o novo contexto de risco; e Direito de saber e mobilização comunitária – comunicação de risco. A disciplina teve como atividade prática oficina sobre comunicação de risco com moradores de sete comunidades situadas no entorna da mina de urânio em Santa Quitéria-CE.

Numa perspectiva transdisciplinar, o TRAMAS tem procurado produzir uma ciência que esteja a favor da equidade social e ambiental, balizado por fazer uma ciência crítica. Exercitando os pressupostos de uma ciência emancipatória, têm contribuído com movimentos sociais e entidades, passando a compor no primeiro semestre de 2011 a articulação Antinuclear do Ceará (AAN-CE), com CPT, Caritas e MST e disparado dentro do núcleo o Processo Anti Nuclear. Nesse sentido, desenvolvem-se pesquisas que possam subsidiar ações no âmbito das políticas públicas e as lutas das comunidades, dos movimentos sociais e de entidades por justiça social e ambiental.

As atividades desenvolvidas pelo Processo Antinuclear, concebidas de acordo com princípios da Avaliação de Equidade Ambiental, importante instrumento de promoção da saúde e da justiça ambiental, tem contribuído para problematização, numa perspectiva dialógica e emancipatória, dos temas abordados a fim de que possa fortalecer a autonomia, a democratização da informação e o direito de saber das comunidades atingidas. Alinha-se ao paradigma da Saúde Coletiva, cuja construção compartilhada de conhecimentos leve os sujeitos à emancipação, num agir micro e macro social, numa ruptura epistemológica onde o modelo adotado é o do ser humano, em sua realidade, complexa, simbólica e cotidiana.